Carregando
análise › wiiu 
Game & Wario
escrita por Rodrigo de Sousa Trindade

Esperado como um dos títulos do início da vida do Wii U, Game & Wario demorou, mas foi lançado no último mês de junho. Desenvolvido pela Nintendo SPD em parceria com a Intelligent Systems, o jogo tinha uma premissa original mostrar as funcionalidades únicas do console, assim como Nintendo Land fez com méritos desde o lançamento da plataforma, mas com um pouco da loucura característica do anti-herói Wario.

Game & Wario possui uma história: Wario viu uma propaganda na televisão de um novo videogame que usa duas telas (lembra um console da atualidade,não?) que o inspirou a criar um jogo inédito. O enredo do protagonista não passa disso,  se aprofundando brevemente nas apresentações de minigames protagonizados pelo anti-herói. Em paralelo a isso, outras pequenas histórias são introduzidas quando outros personagens, como Mona, 9-Volt e Crygor, têm seus jogos selecionados.

Estes breves trailers são mostrados todas as vezes em que dez dos 12 minigames disponíveis para um jogador são acessados. Detalhadamente, Shutter, Arrow, Patchwork, Ski, Gamer, Kung Fu, Design, Ashley, Pirates e Taxi têm um vídeo de introdução, enquanto Bowling e Bird não. Apresentadas as modalidades, hora de explicar no que consiste cada uma delas.

Ao abrir Game & Wario pela primeira vez, apenas Arrow está disponível para uso, sendo necessário jogá-lo para ir destravando progressivamente cada um dos outros 11 minigames. Conforme o jogador progride no single-player, ele é premiado com moedas que são usadas para coletar 240 colecionáveis, em um conjunto de objetos que vão desde cartões dos diversos personagens e dicas para seus jogos até outros itens que possuem uma jogabilidade própria, responsáveis pelos momentos de maior maluquice do jogo.

Além do modo para um jogador apresentado anteriormente, Game & Wario possui quatro jogos para multiplayer e o chamado Miiverse Sketch, que se assemelha ao hit de celulares e tablets Draw Something, mas com um twist: usuários aleatórios sugerem palavras para serem desenhadas, enquanto os que quiserem desenhar recebem quatro termos para sua escolha e então devem rabiscar em 60 segundos uma representação do termo escolhido.

É desafiante, divertido e uma ótima interação com o Miiverse, já que cada "obra de arte" é compartilhada na rede social da Nintendo com as seguintes informações: a faixa de idade do artista (se autorizado por ele), o tempo utilizado para fazer o desenho e qual palavra ele tentou representar originalmente. Tudo o que foi publicado é compartilhado na comunidade Miiverse Sketch Artwork Community. Dentro do próprio Game & Wario também é possível ver o que foi desenhado a partir dos filtros: palavras sugeridas (pelo próprio jogador), palavras na moda e palavras já rascunhadas pelo próprio jogador.

Pela sua integração com o Miiverse, este modo é um dos mais inspirados da coletânea de Wario, pela sua originalidade e interatividade com uma das maiores novidades do Wii U. Outras partes do jogo mantêm este nível, mas não como um todo.
Game & Wario tem momentos brilhantes, dignos da franquia WarioWare, mas como um todo é um produto menos especial. Comecemos com os pontos altos da coletânea de minigames: Shutter e Gamer. O primeiro é o jogo de Mona, fotógrafa, jornalista investigativa e encarregada de flagrar bandidos com a sua câmera.

A jogabilidade deste minigame, um dos primeiros a serem liberados, cobra do jogador a atenção nas duas telas. Enquanto o GamePad é a câmera de Mona, a televisão é como se fosse a visão de uma janela em que ela está escondida para tirar fotografias de cinco indivíduos, destacados na parte inferior da telona. Com cinco fases distintas, o objetivo é flagrar os cinco em até três minutos, tentando fazer fotos limpas, bem enquadradas e com um tamanho decente. Quanto melhores as fotos, melhor será a pontuação ao fim de cada estágio.

Gamer, por sua vez, te coloca no lugar de 9-Volt e 18-Volt jogando um portátil batizado de Ninevolt, que roda, na prática, uma fase de WarioWare. Nesta, as transições de microgames são feitas com um Balloon Fighter dotado de quatro balões. A cada fracasso em um microgame, um balão estoura. A velocidade frenética da outra franquia protagonizada por Wario marca sua presença de duas formas diferentes.

Em uma delas, a mais interessante e que faz jus à premissa de Game & Wario, 9-Volt está jogando seu Ninevolt na cama até o momento em que sua mãe entra no quarto e manda ele dormir. Desafiando as ordens superiores, o menino finge desligar seu portátil até a mãe se retirar do recinto para voltar a jogá-lo novamente. A chamada jogabilidade assimétrica atinge seu auge neste minigame, já que você precisa dar sequência ao "mini WarioWare" de 9-Volt no GamePad e ficar atento a sons e imagens da TV para se esconder quando a mãe aparecer. Soa simples, mas é desafiador e até assustador: nunca temi tanto uma mãe.

O modo de 18-Volt é mais simples, já que nele tanto GamePad quanto TV mostram o portátil, com o objetivo de se chegar o mais longe possível no WarioWare embutido, superando o recorde de 9-Volt.

Graficamente, estes dois games, assim como a maior parte dos outros, seguem a tendência dos últimos jogos de Wario: desenhos animados, visual simples e bem acabado. As exceções, desta vez ficam por conta principalmente de Ski e Kung Fu. O primeiro, minigame muito parecido com o de F-Zero em Nintendo Land e protagonizado por Jimmy T, apresenta modelos 3D bem trabalhados na TV, mas a jogabilidade não é feita por meio dela, mas pelo GamePad, no qual o jogador usa os sensores de movimento para direcionar o personagem visualizado pelo alto, assim como a pista.

Em Kung Fu, o objetivo é levar Young Cricket até Master Mantis em um breve jogo de plataformas com um detalhe único: o visual semelhante a Okami. Assim como Ski, o minigame não é dos mais envolventes e não se destaca como outros da coleção, mas merece a atenção pelo visual distinto.

Dos demais minigames, Arrow, Pirates (Wario) e Taxi (Dribble e Spitz) têm momentos de brilho na interação GamePad-TV, mas não se equiparam aos melhores momentos de Gamer e Shutter. Patchwork (Kat e Ana) é um puzzle bem acabado e divertido, mas poderia estar presente em qualquer outra plataforma, já que utiliza o GamePad de uma forma pouco criativa, assim como Design (Dr. Crygor). Bird e Bowling são desprezíveis. Enquanto o primeiro é um jogo de boliche de jogabilidade esquisita, o segundo coloca o jogador no controle do pássaro Pyoro em um jogo simples demais para merecer atenção.

No mutiplayer, dois dos minigames merecem atenção: Sketch (Orbulon) e Fruit (Penny). No primeiro, o GamePad é utilizado por um jogador por dois minutos para fazer uma série de desenhos a partir de palavras geradas aleatoriamente. Enquanto isso, seus desenhos são mostrados na TV sem a palavra para a adivinhação de amigos. É uma dinâmica interessante e funciona bem em reuniões de amigos. O vencedor é quem conseguir induzir mais respostas certas. Já em Fruit, o jogador dotado do GamePad controla um ladrão que coleta frutas no meio de uma multidão. Os demais jogadores funcionam como espectadores, tentando descobrir qual dos personagens no meio dos vários na tela é o colega, que deve coletar no máximo quatro de cinco frutas em um limite de tempo

Variedade é o que não falta em Game & Wario. Para um console com pouca diponibilidade de jogos, o produto de Wario é uma adição bem-vinda à biblioteca, embora não tenha a qualidade de seus últimos títulos. Há momentos geniais e genéricos dentro da coletânea de minigames que, como um todo, não atinge a meta proposta por ela mesma: fazer o melhor uso possível da combinação GamePad e TV.

Por US$ 40, Game & Wario vale seu preço: não tem o mesmo valor de um título como Nintendo Land e admite isso. Há diversão dentro do pacote, embora Wario já tenha tido mais inspiração e criatividade em seus investimentos no passado.


-- Resumo --

+ Gamer;
+ Colecionáveis;
+ Bom humor;
+ Integração com o Miiverse;
- Coletânea genérica como um todo;
- Multiplayer pouco explorado.




6,5


comentários
Master Gamer
18/07/2013 s 11:35
"- Coletânea genérica como um todo;"
...what?

"embora não tenha a qualidade de seus últimos títulos"

WHAT!?

Sério, eu não sei se o problema sou eu e todos as pessoas que compraram o jogo no miiverse, ou a critica moderna que simplesmente não sabe como avaliar um jogo do gênero.
Aristarkh
13/07/2013 s 12:50
Ainda bem que não comprei lol

Quero um WarioWare de verdade.
Arus
10/07/2013 s 23:30
Eu preferia que tivessem mantido a essência de Micro-Games do jogo mas utilizando inovações e criatividade com o GamePad. [2]

seria melhor do que esse nintendo land 2
D2Boy
10/07/2013 s 17:37
Esse jogo pode ser mais ou menos,mais uma coisa eu vou dizer o Wii U está começando a aumentar nas vendas e esse jogo é o pioneiro nesse assunto logo logo virá mais jogos que farão o Wii U aumentar ainda mais nas vendas.
NicMDS
09/07/2013 s 13:30
Eu preferia que tivessem mantido a essência de Micro-Games do jogo mas utilizando inovações e criatividade com o GamePad. O jogo teria muito mais potencial eu acho... E, por que não, manter alguns minigames como estes, como sempre teve na série.

Paciência, esperemos um WarioWare de fato!
Ledig
09/07/2013 s 10:45
Parei de ler qdo começaram a descrever o minigame da mona (foi por preguiça mesmo).

Mas eu li aquele minigame do desenho com o miiverse, a primeira coisa que me veio na cabeça foi "pq não fizeram simplesmente um Gartic?"
DK
08/07/2013 s 20:12
POh , esperava um pouco mais !
WTF Ivysaur
08/07/2013 s 15:50
Curti muito as "title screens". Achei muito genial a vibe clichê.

Apenas usuários cadastrados podem comentar.

Se deseja realizar seu cadastro, clique aqui.

Login de usuário


Lembrar?

análises recentes
Shut the Box
wiiu    5
Master Reboot
wiiu    4
Mario Kart 8
wiiu    57
Shovel Knight
wiiu    6
Bravely Default
3ds    10
Child of Light
wiiu    13
Cube Tactics
3ds    4